Matriz de São Tiago (Santiago do Iguape) – Cachoeira, Bahia

No ano de 1561, nos primórdios da presença portuguesa em terras brasileiras, alguns padres jesuítas adentraram pela Baía do Iguape – formada pela junção das águas do Rio Paraguaçu com as marés vindas da Baía de Todos os Santos – e construíram uma capela destinada à evangelização da população local. Na época, as terras dos arredores eram comandadas por Antonio Lopes Ulhoa, um senhor de engenho que também era Cavaleiro da Ordem de Santiago de Compostela – provavelmente esse vínculo tenha influenciado na dedicação da capela ao apóstolo São Tiago (Santiago).

Com o passar do tempo o povoamento cresceu, e a igreja recebeu, em 1608, uma licença canônica que a instituiu como matriz.

Após mais de um século, a construção primitiva se arruinou, e em 1783 (quando os jesuítas já haviam sido expulsos do Brasil devido à perseguição do Marquês de Pombal), deu-se o início da atual construção, que foi finalizada já no século XIX.

Possui fachada em estilo barroco em transição para o neoclássico, com decoração em guirlandas de pedra. Sobre a porta principal, há um medalhão com as insígnias de São Tiago. As torres possuem coroamento revestido de cacos de louças – um costume bastante utilizado no Recôncavo Baiano. O interior da igreja é simples, e tudo indica que não chegou a ser ornamentado com retábulos – constam apenas nichos com algumas imagens.

No ano de 2007, alguns baianos que haviam percorrido o Caminho de Santiago de Compostela, na Espanha, idealizaram uma trilha peregrina para a igreja de Santiago do Iguape. Assim, criou-se um Caminho de Santiago na região.

Atualmente o local é habitado principalmente por pescadores e reminiscentes de quilombos que existiram na região. Apesar da proximidade com as casas, no ano de 2013 a igreja sofreu um roubo, quando foram levadas algumas imagens centenárias.

Não obstante, essa igreja permanece com sua beleza paisagística, inserida em um dos locais mais intocados e preservados do Recôncavo Baiano. Na paisagem, pouca coisa mudou desde quando os jesuítas ali fizeram a primeira capela.

IMG_6770

IMG_6576

IMG_6596

IMG_6602

IMG_6570

IMG_6609

IMG_6796

 

REFERÊNCIAS:

– Bazin, German, L’Arquitecture Religieuse Baroque au Brésil, Tome II, Paris: Librairie Plon, 1958

– Moradores do local

-www.abacs.com.br

 

aIMG_00308

9 comentários sobre “Matriz de São Tiago (Santiago do Iguape) – Cachoeira, Bahia

  1. Eu nasci aí nessa região, me passa um “filme” na cabeça. Minha infância, meu pai trabalhando duro. Impressionante

    Curtir

Deixe uma resposta para Maria valniza ribeiro da silva Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.