Matriz de Santo Antônio – Grão Mogol, Minas Gerais

Serra do Espinhaço foi o primeiro lugar do Brasil onde se descobriram diamantes. Na época  – por volta de 1710 – isso atraiu muitos aventureiros para o então Arraial do Tejuco (atual Diamantina). Com o passar dos anos, a mineração foi se estendendo para o norte da província de Minas Gerais, até que, no final do século XVIII e início do século XIX, foram descobertos diamantes ao longo do Rio Itacambiruçu e também na vizinha Serra de Santo Antônio – nessa última, trata-se do único caso no mundo em que diamantes foram encontrados diretamente nas rochas. A partir desses achados, pessoas se mudaram para a região, e formou-se o povoado de Santo Antônio do Itacambiruçu, posteriormente denominado “Grão Mogol” .

Sobre a origem do nome do local, há diferentes versões: alguns dizem ter sido dado em referência a um grande diamante indiano batizado de ‘Grande Mongol’, e outros afirmam ser derivado de “grande amargor”, em virtude de alguns conflitos e mortes ocorridos entre  os garimpeiros.

Dentre os personagens da região, destaca-se Guálter Martins Pereira – o Barão de Grão Mogol – nascido em 1826 em uma fazenda da região, e que ficou conhecido  pelo trato humanizado que dispendia aos seus escravos.

Logo que a Coroa Portuguesa, em 1840, transformou o arraial em Vila Provincial, e posteriormente em ‘distrito’, foram reunidos esforços para construir uma igreja matriz. O referido Barão de Grão Mogol cedeu vários de seus escravos para auxiliarem na construção do templo, que seria inteiramente feito com rochas retiradas da região.

A igreja foi dedicada a Santo Antônio, o frade franciscano nascido em Lisboa e que viveu em Pádua, na Itália. Era amplamente venerado pelos portugueses e seus descendentes, e, ao que parece, sua devoção na região de Grão Mogol antecedeu à construção da matriz, uma vez que a própria cadeia montanhosa da região já fora batizada em sua homenagem.

IMG_1725

 

IMG_1658

IMG_1502

IMG_1504

IMG_1643

Apesar do frontispício possuir um estilo eclético, em linhas gerais a matriz segue o traçado das igrejas barrocas, com dois altares laterais e uma capela mor ornada de um grande altar em madeira, dotado de pequenos oratórios para diversos santos. Há poucos ornatos no interior da igreja, mas a rusticidade trazida pelas pedras e pela estrutura em madeira deixam o ambiente extremamente agradável e acolhedor.

Preservada pela distância em relação a grandes centros urbanos, a pacata cidade de Grão Mogol (que também possui ruas com casario histórico e um presépio em tamanho natural), é um local onde se pode imergir nas mais genuínas e autênticas raízes do povo do sertão mineiro.

IMG_1585

IMG_1537

IMG_1527

IMG_1575

IMG_1612

IMG_1551

Capela do Santíssimo Sacramento

IMG_1627

Altar-mor

IMG_1870

Entardecer na serra de Grão Mogol

_____________________________

REFERÊNCIAS:

 

Chavez, Mario Luiz de Sá; Benitez, Leila; Andrade, Kerley Wanderson; A Pedra Rica (Grão Mogol, MG), Localidade mundial onde primeiro se encontrou diamantes em uma rocha; Instituto de Geociências da Universidade Federal de Minas Gerais.

GrãoTur

 

Prefeitura de Grão Mogol

 

 

 

 

14 comentários sobre “Matriz de Santo Antônio – Grão Mogol, Minas Gerais

  1. – Linda a grandeza que existe na simplicidade da história ! 😀
    A Igreja, mesmo pequena, tem uns corredores encimados por arcos que lembram os claustros dos mosteiros.
    Austera, toda de pedra ela não deixa de ser uma fortaleza !
    Linda !
    Aparenta ser tão abençoada, quanto os ambientes em que se reza muito no interior.
    Muitíssimo convidativa para a oração. 🙂

    Curtir

  2. É realmente lindo de ver o quão maravilhoso é o mundo de hj que nos permite ver e conhecer sobre cidades em que nunca fomos ,mas nessa cidade “grão mogol’’ eu nasci e fui muito bem criado cidade essa que com o tempo foi ficando mais linda ainda por isso adoro ver os posts.

    Curtir

  3. História tão bela e encantadora quanto a própria igreja. Cartão postal de Grão Mogol, março da reliogiosidade de um povo. Magnífico.

    Curtir

  4. História tão bela e encantadora quanto a própria igreja. Cartão postal de Grão Mogol, março da religiosidade de um povo. Magnífico.

    Curtir

  5. Este artigo retrata toda a historia e beleza deste monumento historico que é a igreja de Grão Mogol. De fato uma das mais belas igrejas do Brasil.

    Curtir

  6. Tão maravilhosa quanto a cidade, a Matriz guarda em si as mais belas histórias de vida e arte da nossa região, quiçá do país.

    Curtir

  7. O Brasil tem tantos lugares encantadores, que os próprios brasileiros às vezes ignoram existir, mas que estão sendo aos poucos desvendados e mostrados, como nessa página. Sou apaixonado por Minas e suas cidades encantadas que conheço, como Diamantina, Ouro Preto e Serro. Quero ter o prazer de conhecer Grão Mongol e esse belo patrimônio.

    Curtir

  8. Nossa que relíquia…….tão bela homenagem ao paduano Antônio…….homem feito santo por demonstrar tão grande amor ao próximo e ao menino Jesus……purificado…..purifica até hj seus devotos…….só de imaginar que tantos trabalhadores se ajuntaram para erguer um templo tão belo …….eita minas gerais !!!!

    Curtir

Deixe uma resposta para Renata Veloso Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.